Power Rangers: Battle for the Grid - Análise/Review (Nintendo Switch) 1

Power Rangers: Battle for the Grid – Análise/Review (Nintendo Switch)

2 min


  • PREMISSA

Power Rangers Battle for the Grid é uma visão moderna da franquia de 25 anos, o game apresenta gráficos impressionantes com detalhes vívidos. Coloca Rangers e vilões, atuais e clássicos , como nunca antes em batalhas de equipe. Teste suas habilidades on-line contra amigos e jogadores de todo o mundo com um fator replay interminável. Um sistema de combate simplificado dá as boas-vindas aos recém-chegados com controles simplificados enquanto mantém a profundidade para o competidor mais dedicado aprender e dominar.

 

25 ANOS DE RANGERS

Gerações de Power Rangers colidem ao longo dos 25 anos de história do “multiverso”. Experimente sequências de batalha autênticas dos Power Rangers, mas recriadas, como nunca antes.

FÁCIL DE APRENDER, DIFÍCIL DE DOMINAR

Power Rangers: Battle for the Grid apresenta controles tradicionais de jogos de luta. Esta fácil de aprender, mas difícil de dominar, o jogo é projetado para receber jogadores de todos os níveis.

 

  • GRÁFICOS

O game conta com bons gráficos, mas nada de muito extraordinário. Visualmente o game é bonito, principalmente nos modelos dos personagens. Os cenários podem deixar um pouco a desejar visualmente para alguns jogadores mais exigentes, mas nada que mude a experiência do game. As cores do game também são bem vibrantes, e os efeitos especiais são bacanas.

 

  • GAMEPLAY

O gameplay do game é o foco principal, afinal, estamos falando de um jogo de luta. Como citado anteriormente no texto, o jogo mescla facilidade de aprendizado para facilitar os jogadores mais casuais e ao mesmo tempo oferece os mais variados combos para os jogadores que querem jogar de modo competitivo. Por falar nisso, o jogo realmente puxa para o lado competitivo, existe uma tabela de resultados que computa apenas suas partidas Ranked. O próprio criador do game disse que o jogo seria feito para agradar aos jogadores mais competitivos no modo online. Mas nem tudo são rosas, e um lado negativo do game ao tempo dessa review, é a pouca quantidade de personagens e mapas, nesse momento existem apenas 9 personagens, e apenas 5 mapas. Felizmente os desenvolvedores anunciaram essa semana que mais 3 personagens estão chegando de forma gratuita, pois receberam muitas reclamações quanto a isso. O jogo também conta com um “passe de temporada”, onde você poderá receber todos os futuros personagens e mapas “de graça”. (O game base custa 20 dólares enquanto o “completo” custa 39,99 dólares)

 

  • SOM

O som do jogo é bom, mas nada de muito sofisticado, a sonoplastia funciona bem e sem atraso durante os golpes. As músicas não são nada espetaculares a ponto de serem lembradas, mas fazem bem o papel de dar dinâmica para as lutas. O jogo também conta com legendas em português do Brasil. O que para muitos é algo que faz toda diferença, mesmo em um jogo de luta.O ápice do som para mim nesse inicio de vida do game, é sem dúvidas no especial do Ranger Verde Tomy, quando ele toca a “flautinha” dele para chamar o megazord, é simplesmente nostálgico!

 

[wp-review id=”30832″]


GOSTO DISSO? COMPARTILHE COM OS SEUS AMIGOS!

AndyDaher