A Era de Bronze do Super-Heróis Nacionais 1
HQNerd Otaku

A Era de Bronze do Super-Heróis Nacionais

Compartilhar
Compartilhar

E continuando a nossa série… Veja AQUI o artigo anterior.

Enquanto no “mainstream” as grandes editoras sofriam com a crise, no underground as produções só aumentavam.

Um pouco de contexto:

A década de 80 foi uma época de crise no mercado de quadrinhos, quando todas as editoras amargaram quedas constantes no número de exemplares vendidos, muitas não resistiram ao momento econômico desfavorável e fecharam suas portas. a crise chegou ao ápice no governo Collor.

Em contrapartida, a produção de fanzines (produção de baixo orçamento) começou a bombar nos anos 90. Durante a década surgiram eventos específicos, com direito a notas em jornais impressos e na TV.

Os super-heróis nacionais “desaguavam” de vez no cenário underground (ou independente).

Já na virada do milênio, a coisa ficou complicada…Nos anos 2000, a moda da vez eram os mangás (quadrinhos japoneses) e em pouco tempo tomaram conta de tudo, até no cenário independente.

Nessa “era sombria” para o super-heróis Br, alguns autores recorreram para a internet…Na época, muitos personagens surgiram e ganharam suas próprias HQs nos anos seguintes.

A Era de Bronze do Super-Heróis Nacionais 2


Um dos movimentos que, para mim, marcou o inicio da Era de “Bronze dos Super-Heróis Nacionais”, foi o surgimento da SM Editora (Júpiter 2).

Em 2005, o escritor e fanzineiro José Salles (com a ajuda do desenhista Edu Manzano), criou a SM Editora.

A editora trouxe uma variedade de títulos e promoveu o resgate histórico da obra de autores como: Gedeone Malagola, Julio Shimamoto, Elmano Silva, Edgar Franco etc.

Em março de 2008, A SM Editora mudou de nome para Júpiter 2 Editora, que durou até 2015.

Também em 2005 foram lançados personagens como: Mascara Noturna do Autor José Salles (Com arte de Eduardo Manzano) e Corcel Negro do autor Alcivan Gameleira (Ambos da SM Editora) Entre muito outros, Destaque para o surgimento da personagem Jaguara do autor Altemar Domingos (Via Latteera Editora).

Também no ano de 2005, foi lançado pela ND Comics, o grupo de super-heróis “Guerreiros da Tempestade
do autor Anísio Serrazul.

No ano de 2006, o autor Micaías Ramos criou outro marco importante para cenário: A “Tacape Editora” (Que mais tarde se tornaria a Blue Comics e Entretenimento) empresa que ficou conhecida por ser a primeira, no Brasil, a ter o seu próprio universo compartilhado/de super-heróis. A primeira revista, em formato zine, lançada pela editora foi “O Ninja #1“, que trazia o reboot do título, criado em 2001.

A Era de Bronze do Super-Heróis Nacionais 3

Em 2007, nos blogs/Flogs da internet (movimento que mencionei acima), surgiram personagens interessantes, um deles foi o “Penitente” do autor Alexandre Cozza Ferreira.

Ainda em 2007, o autor Eloyr Pacheco criou o personagem “Escorpião de Prata”, outro marco para o cenário das HQs de super heróis.

Muitos outros personagens surgiram nesse período, mas infelizmente não há como mencionar todos aqui.  Então vamos avançar um pouco…

Em novembro de 2011, o autor José Amorim Neto criou o personagem “Cover”, laçando suas edições no blog do selo “Novo Sistema”.

Em 2012, surgiu o “CBC” Coletivo de artistas que fez bastante “barulho” na internet, chamando a atenção do publico e de outros autores. O grupo foi encerrado em 2014 após vários problemas internos. No ano seguinte (2015) A Tacape Editora adquiriu os direitos sobre o “CBC” e dessa união nasceu a “Blue Comics e Entretenimento”.

No ano de 2013, em meio as manifestações políticas contra a Dilma Rousseff, surgiu o personagem “O Doutrinador”, criado pelo autor Luciano Cunha. O personagem ganhou uma adaptação para o cinema em 2018. Durante as gravações do filme, Luciano Cunha e Gabriel Wainer, como sócios, criaram a Editora Guará.

Em 2016, com a união de vários autores independentes, surgiu o maior crossover,
envolvendo super-heróis, do país: A HQ “Protocolo: A ordem”. A revista foi publicada graças a um financiamento coletivo.

2019…

O ano que dividiu toda a cena de HQs no Brasil, sem exageros. Claro que aqui, no post, não há como abordar tudo o que aconteceu… Então vamos deixar para outro artigo. rs

E assim, encerrou-se a “Era de Bronze dos Super-Heróis Nacionais”. Contribua nos comentários:


Compartilhar

Qual a sua opinião?

Você pode gostar também
Quadrinhos Nacionais: Adaptações de Quadrinhos para o cinema e vice-versa. 6
+ Jogos

Quadrinhos Nacionais: Adaptações de Quadrinhos para o cinema e vice-versa.

Grandes Adaptações de Quadrinhos para o Cinema Nacional e vice-versa.

Morre, aos 35 anos, Lobo Borges, co-criador de ‘Ledd’ e ilustrador de Tormenta 7
HQMangáNerd Otaku

Morre, aos 35 anos, Lobo Borges, co-criador de ‘Ledd’ e ilustrador de Tormenta

De acordo com pessoas próximas ao artista, ele estava fazendo tratamento contra...

30 de Janeiro, O Dia do Quadrinho Nacional 8
HQNerd Otaku

30 de Janeiro, O Dia do Quadrinho Nacional

Na próxima segunda-feira, dia 30 de janeiro, será comemorado o Dia do...

Faleceu nesta quinta-feira (13/10) o autor de revistas em quadrinhos Sérgio Terres Franzen 9
HQNerd Otaku

Faleceu nesta quinta-feira (13/10) o autor de revistas em quadrinhos Sérgio Terres Franzen

Faleceu nesta quinta-feira (13/10) o quadrinista Sérgio Terres Franzen, autor esteve em...